domingo, 9 de novembro de 2014

Interestelar

            Meu amigo Helio Titã, que se dizia cosmologo e cedo foi ver as estrelas de perto, falava muito dos buracos de minhoca. São caminhos entre buracos negros. Para quem não sabe, buracos negros são uma espécie de “ralo”do universo. Por eles passam diversas formas de matéria inclusive a própria luz(daí serem negros). Stephen Hawkins e outros cientistas vêem essa matéria sugada caminhar para uma saída além do espaço-tempo. Seria como um deposito que na verdade é outra face do universo, com estrelas e planetas desconhecidos de nossos parcos telescópios e o mais que detecte mundos em galáxias percebíveis.
            No universo além do nosso, podem existir mundos parecidos com a Terra. Aliás não é preciso ir tão longe. Hoje se sabe que muitas estrelas possuem em suas orbitas planetas com água e o mais que possibilitem a vida humana que se acha no nosso canto. O problema é sempre a distancia. Um mundo que orbite Alfa Centauro, por exemplo, dista mais de 4 anos-luz. Ora, se uma nave conseguisse voar na velocidade da luz levaria esse tempo para chegar lá. Mas se alguém voasse nessa velocidade, segundo Einstein, viraria energia. A matéria não suporta tanta rapidez.
            O filme de Christopher Nolan, “Interestelar”, roteirizado pelo irmão dele Jonathan e inspirado no cientista Kip Thorne, conta uma pesquisa depois de uma viagem por um buraco de minhoca, com o objetivo de achar um planeta plenamente habitável pelos seres da Terra que, na época da trama, sofrem os últimos desgastes da poluição ambiente.  Para não ficar um projeto inviável comercialmente, eles botaram uma historia suportando a viagem espacial, centrada num fazendeiro que vê suas terras sofrendo desgaste e sabe que não há um meio de recuperar o solo para o plantio. O homem é viúvo recente, tem um casal de filhos, mora com o velho sogro, e a filha que chama de Murph por causa da Lei de Murphy (“o que pode acontecer acontece), não o deixa. Para viajar ao espaço ele precisa prometer á ela que vai voltar. Mas sabe que isto é impossível. Antes, a menina diz que há fantasmas na sala, próxima de uma estante. Nessa estante há um livro de Conan Doyle, reforçando a tese de “alma do outro mundo”. Bem, o rapaz acha uma espécie de filial clandestina da NASA (e deve ser pois a entidade teve suas verbas cortadas pelas novas administrações) e como tem experiência de piloto, mostrada na primeira sequencia do filme, é logo contratado pelo chefe da estação(Michael Caine).
            Não é bom contar toda a historia pois quem vai ver o filme tem direito às surpresas melodramáticas. Vale apenas dizer que o piloto chamado Cooper(Matthew McConaughey)tem como companhia uma doutora (Anne Hathaway). Fica uma pergunta: quem vaificar fisicamente num outro mundo se a liberação do tempo e espaço faz fantasmas de carne e osso ?
            Sempre curioso embora cientificamente tão sério quanto o mágico de Oz, o filme seduz. O Titã gostaria de ver. Meus colegas e amigos de uma sociedade de astronomia que existiu em Belém nos anos 1950, também gostariam. São raras, é verdade, as sci-fi com base teórica sustentável. Um “Planeta dos Macacos”(o primeiro filme), é raro. Hoje o gênero está poluído pelas fantasias exuberantes da MARVEL. Por isso vale a pena embarcar na espaçonave fantasiosa dos Nolan. E passar quase 3 horas navegando por um misto onde conotações familiares dão o gosto de terra onde buracos de minhoca só os que abrigam iscas de pescadores.

            

3 comentários:

  1. Há muito tempo não via um filme de ficção cientifica, que une uma boa história e pouco efeitos especiais. Interestelar consegue essa façanha sem apelar para o farto uso de efeitos especiais a história nos encanta ao tratar de temas como devastação do Planeta Terra, a esperança de viver em outro planeta semelhante a terra. Os dramas pessoais de cada personagens é muito bem contado. Gostei muito da questão do tempo que mostra como ele pode ser relativo , bom ou der alguma forma ruim para a sobrevivencia ou não de sentimentos sejam eles de que maneira forem.a "humanização " dos robos também é otimo certeza Interestelar ja se tornou um classico.

    ResponderExcluir
  2. Ola caro Dr.
    Achei um belo filme, primeiro por destacar alguns temas que me chamam atenção. Quando vemos o mundo inteiro falando de aparições de óvnis e osnis... Nos textos de livros antigos como bíblia, bagava Gita e antigos livros chineses... Observamos que o que se ver da Austrália ao México, do Japão a patagônia, todas parecem com os mesmos aspectos: trovão, fogo, claridade, cilindros, humanóides etc. Uma pergunta sempre me indagou. Julio Verne escreveu a despeito das léguas submarinas, antes de se inventar o submarino no mínimo 100 anos antes; Da Vince o helicóptero... Há uma máxima entre os cientistas que diz: Se o homem pensa, logo ele tem capacidade realizar... pois bem esses dois fatos explicam muito bem essa afirmação. Contudo vejamos: Se homem pode viajar no tempo como disse Einstein, é possível que todas essas aparições desconhecidas datadas de tempo longínquos, desde pré história, vide as pinturas rupestres em cavernas, no interior das pirâmides egípcias, maias, astecas, etc. Assim, pensando em nave que trafeguem pelo espaço tempo é possível que já tenhamos inventando essas naves num futuro (Tal qual o futuro de hoje em relação a Da Vince e Verme) e o que achamos que é alienígenas, somos nós mesmos, ou seja, homens do futuro que desenvolveram tecnologia, uma máquina que se desloque no espaço tempo e venha aqui nos trazer iluminação no mundo de trevas que viveram a humanidade. A pergunta é: E Deus e a fé, e as religiões e quem fez todo o universo, inclusive os buracos negros... Sempre pairara uma nuvem de dúvidas e a presença de um ser superior que tudo construiu. Esse filme mostra a relação daquela biblioteca, onde Cooper vendo sua filha em diversos momentos da existência dela, tentando se comunicar... Aquela parte foi a que mais me deixou inquieto... Sobretudo, depois de cair dentro da minhoca ele é remetido para uma sala aparentando 4 demissões e a insistência da gravidade como um novo elemento na composição do espaço. Ali acho que o diretor didático, que foi durante todo filme perdeu seu ar professoral passando por uma alegoria não compreensível. Perdoe o desarrumar de minhas palavras sei que com esforço entenderás minhas duvidas, tenha uma boa tarde. Wesley costa Bsb-Df
    WEYCOST@GMAIL.COM
    O TEMA ME INTERESSA SE HÁ ALGO PARA CLAREAR ESSAS DUVIDAS AGRADECERIA.

    ResponderExcluir
  3. O livro "A Máquina Infernal do tempo" mexe com os mitos a partir de viagens temporais. Há uma menção à aparição de uma santa (ele não cita qual)que seria uma jovem do futuro projetada para galhos de uma arvore do passado e, descoberta por um homem pobre que se espantaria com a visão e seria consolado por ela, Anos depois a mesma jovem constata a fama que adquiriu. Os
    Nolan podem ter pensado nisso.

    ResponderExcluir